7 CBs para ficar de olho no College

0
162

A temporada do College começa no dia 26 de Agosto e nós separamos para vocês alguns cornerbacks que entram para a temporada como maiores prospectos para o Draft de 2017.

Iman Marshall – USC

Jogador estelar no High School da California onde jogava como safety e wide receiver, Iman Marshall chegou como top 3 na sua classe de recrutamento. Foi disputado acirradamente por Notre Dame, Florida State e UCLA, mas preferiu assinar com os Trojans de USC.
Em 2016 teve ótimos números, com 51 tackles, 8 passes defendidos e 3 interceptações, sendo uma na primeira jogada de scrimmage do Rose Bowl contra Penn State.
Cornerback agressivo e físico, tem grande capacidade de jogar bem tanto em man quanto em cover zone. Utiliza bem as mãos na scrimmage e joga bem em press coverage.
Veloz e com quadris ágeis, consegue acompanhar bem as mudanças de direção dos recebedores sem deixar que consigam a separação. Apresenta um bom conjunto de ball skills, conseguindo criar turnovers. Versátil, pode jogar como safety também.
Apesar de conseguir sair bem dos bloqueios, seu suporte ao jogo corrido ainda é pobre, muito em virtude dos ângulos ruins que toma na hora de tacklear.

Minkah Fitzpatrick – Alabama

Vindo de New Jersey, temos outro jogador de renome no High School: Minkah Fitzpatrick. Assediado por Florida State e South Carolina, ele preferiu integrar uma das defesas mais temidas da NCAA, assinando com Alabama de Nick Saban.
Em 2016 ele conseguiu 66 tackles, 1 sack, 1 fumble forçado, 7 passes defendidos e 6 interceptações. No jogo contra Arkansas, conseguiu 3 interceptações, se tornando um dos recordistas da Alabama no quesito em apenas um jogo. Uma delas foi retornada para touchdown por 100 jardas, batendo recorde da universidade da pick mais longa retornada para touchdown. Levou mais uma interceptação para endzone adversária contra Florida e se tornou o recordista em pick-six da história de Alabama.
Velocidade, agilidade e muito atleticismo se destacam em Minkah. Ele é capaz de acelerar muito rapidamente e chegar a bola com facilidade além de ter grande impulsão. Joga muito bem em zone coverage mas tem certa dificuldade em marcar rotas para o meio do campo (como as post’s) em man. Tem um conjunto de ball skills fabuloso e suas estatísticas não deixam negar. Além disso, é versátil e pode jogar como safety e nickel. Excelente também na cobertura dos special teams.
Apesar de identificar rapidamente as jogadas, ainda precisa melhorar os ângulos de seus tackles.

Tarvarus McFadden – Florida State

Cria de Fort Laurderdale na Florida, Tarvarus McFadden foi considerado o 2° melhor CB de sua classe (atrás apenas de Iman Marshall). Foi disputado por Tennessee e Georgia Tech, entre outras, mas preferiu ficar no seu estado e assinar com Florida State.
Na temporada passada, ele conseguiu 20 tackles, defendeu 6 passes e teve 8 interceptações, todas em jogos diferentes e algumas contra QB’s de elite como Deshaun Watson e Chad Kelly.
Cornerback muito veloz e com capacidade de espelhar o recebedor, McFadden demonstra muita desenvoltura jogando em man coverage. Tem grande impulsão e rouba muitas bolas no alto, além de mostra um grande IQ do jogo fazendo ajustes e orientando a secundária.
Precisa melhorar seu trabalho na linha de scrimmage e ganhar massa muscular. Tem dificuldade em sair dos bloqueios, fazendo com que seu suporte ao jogo corrido seja pobre.

Jaire Alexander – Louisville

Nascido em Charlotte e sem tanta badalação durante o High School, Jaire Alexander teve números interessantes pelos Cardinals de Louisville na temporada passada. Foram 37 tackles, 1 fumble forçado, 9 passes defendidos e 5 interceptações sendo duas contra Deshaun Watson, escolha de primeiro round no Draft deste ano.
Jogador extremamente ágil, demonstra um poder de recuperação acima da média, conseguindo disputar bolas que pareciam perdidas. Tem excelente ball skills e é muito agressivo nas bolas 50/50. Apesar de não ser tão alto, tem boa impulsão. Também contribui como retornador de punts, tendo conseguindo um retorno para TD de 69 jardas contra Florida State.
Tem dificuldade contra double moves e em sair de bloqueios. Em zone, muitas vezes demora a perceber o jogador que ocupa sua zona.

Jordan Thomas – Oklahoma

Nascido no Texas (onde se respira football) vem para o seu ano de senior, ele teve em 2016 49 tackles, 17 passes defendidos e duas interceptações.
Muito bom em zone, tem facilidade em jogar em cobertura soft, especialmente em cover 3. Tem boa impulsão e consegue quebrar muitos passes no alto, além de antecipar o jogador em sua zona.
Precisa melhorar na marcação man, principalmente seu footwork e sua mecânica de tackle. Tackleia muito alto, o que faz com que perca muito tackles em campo aberto.

Tony Brown – Alabama

Outro jogador de elite no High School do Texas, Brown foi disputadíssimo no recrutamento chegando a visitar Texas, Ohio State e LSU, antes de optar por Alabama.
Ele esteve suspenso nos 4 primeiros jogos da temporada passada por violações a conduta do time (red flag!), mas retornou para os 9 jogos seguintes e conseguiu 32 tackles, 0.5 sack e duas interceptações mesmo sendo um um reserva. Além disso, foi peça fundamental na cobertura nos special teams.
Deve assumir a titularidade nessa temporada definitivamente. É um CB veloz (fez parte da equipe de atletismo da universidade) com grande capacidade em marcação man e excelente tackleando. Forte, é difícil de ser bloqueado e dá um bom suporte contra o jogo corrido.
Tem problemas contra o play action e as vezes demora a identificar a jogada. O trabalho das mão precisa ser melhorado, bem como o conjunto de ball skills.

Jamar Summers – Connecticut

Prospecto nada badalado, vindo de um High School numa academia militar em New York, Jamar Summers é uma ilha de talento na pobre defesa de Connecticut.
Em 2016, ele conseguiu 59 tackles,9 passes defendidos, duas interceptações e um fumble recuperado e retornado para touchdown. Jogou em alguns momentos como safety também.
Jogador elétrico e muito ágil, consegue jogar bem em man e em zone. Ataca a bola, deixando muitas vezes o recebedor em situações complicadas. Avança rapidamente para a scrimmage e tem um bom tackle dando um suporte consistente contra o run game.
Precisa ganhar massa muscular, além de melhorar seu trabalho no bump and run e o footwork.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here